EXPOSIÇÃO Estrelas da POP ART

EXPOSIÇÃO Estrelas da POP ART

A exposição “Estrelas da Pop Art”, que reúne obras de Andy Warhol, Jasper Johns, Robert Rauschenberg e Roy Lichtenstein.

Patente no Torreão Poente da Antiga Cordoaria Nacional, em Lisboa (Avenida da Índia), a exibição junta às composições dos renomados The Fab 4 da Pop Art também criações de David Salle, Félix González Torres, Jean Michel Basquiat, Jeff Koons, Julian Schnabel e Keith Haring. Um total de 117 trabalhos com curadoria da espanhola Dolores Durán Ucar que o público poderá visitar até 5 de janeiro de 2020.

Arquitetada, produzida e realizada pela empresa portuguesa Art For You, em estreita parceria com o grupo italiano Arthemisia, a exposição “Estrelas da Pop Art” traz, então, a Portugal alguns dos mais importantes nomes desse movimento nascido na década de 1950 em Inglaterra, mas cuja maturidade seria atingida na década de 1960 nos Estados Unidos da América. Vinda diretamente do Museo da Pasion, sediado em Valladolid, ainda que redesenhada para o espaço da capital portuguesa, a mostra oferece uma visão abrangente dessa escola estético-artística inaugurada em 1956 pela colagem de Richard Hamilton: O que Exatamente Torna os Lares de Hoje Tão Diferentes, Tão Atraentes?. Um marco interpretado como de passagem da modernidade para a pós-modernidade na arte ocidental.
Apreciação, essa, que justifica na plenitude “a aposta nesta exposição de incontornável valor artístico, cultural e social”, afirma Ana Cristina Baptista. Tanto mais quanto “conciliamos num mesmo perímetro os prenunciadores da Pop Art com talentos contemporâneos que evidenciam nas suas obras ainda influências dessa doutrina de massas”, continua a CEO da Art for You. “Perseguindo, paralelamente, a nossa política de mostrar, promover e disseminar de forma ampla os trabalhos de artistas de referência mundial. Explorando igualmente novos caminhos para a difusão, afirmação e consolidação da excelência da produção nacional. Enfim, entendendo a cultura como sinónimo de identidade, progresso e coesão”, sintetiza Ana Cristina Baptista.